Análise: Dragon Ball Xenoverse 2

Dragon Ball é um dos grandes nomes da Toei que não necessita de introdução. Desde os seus primeiros jogos, a temática abordada é basicamente a de contar e recontar a história do anime, como praticamente, todos os jogos baseados em animações criados pela Dimps. A fórmula gera sucesso entre os fãs, mas as vezes, é preciso evoluir. Dragon Ball Xenoverse 2 nos mostra uma evolução se comparado ao grande número de títulos baseados em animes, mas será que ele consegue destacar-se do seu antecessor com o mesmo nome?

CONSERTANDO O TEMPO

Há cerca de um ano atrás, a Bandai Namco trouxe uma nova fórmula para a série Dragon Ball, intitulada de Xenoverse. No universo de Xenoverse, em ambos os jogos, somos apresentados a um futuro onde a patrulha do tempo foi criada para estabilizar a linha temporal do universo da série.

trunks xenoverse 2

No anime, Trunks já alterou o tempo diversas vezes, e podemos ver resquícios disso na nova saga intitulada Dragon Ball Super. Parece complicado, mas quando um viajante do tempo usa da viagem temporal para alterar fatos, o universo irá “cobrar”, alterando o passado de outras linhas temporais e modificando algumas características, como o aumento de força dos inimigos, aparições de novos vilões em eras que não são deles, etc. É então que entra em cena os personagens de Xenoverse 2, necessários para reparar esses erros temporais.

No jogo, customizamos um personagem do zero com o objetivo de consertar as linhas temporais que estão se quebrando e sendo alteradas constantemente. É um jeito novo de se contar a história da série em jogos, pois as clássicas lutas do anime não são feitas por Goku e cia, mas sim, pelo personagem que customizamos da nossa forma, raça e maneira de lutar.

Apesar do primeiro Xenoverse já ter praticamente a mesma história, o diferencial do segundo título é apresentado apenas no decorrer do jogo, onde existe um pouco mais a ser descoberto, como alguns novos vilões que irão aparecer fora do mundo das clássicas batalhas do anime. Além disso, Xenoverse 2 nos apresenta alguns personagens da saga Super e dos novos filmes, como a transformação final de Freeza e o último vilão inserido no anime, Goku Black.

ALÉM DA LUTA

Como no primeiro título, Xenoverse 2 apresenta modos que vão além das simples batalhas convencionais do anime. Dando uma nova roupagem, o jogo conta com elementos de RPG e elementos sociais online. Somos apresentados novamente a cidade futurista de Toki Toki, a região do game onde passamos a maior parte do tempo. Nela, o jogador pode interagir com outros jogadores online para participar de batalhas multiplayer, torneios especiais e missões paralelas, que geram atributos e pontos de experiência ao personagem criado.

Se o jogador não quiser experimentar o ambiente online, ele pode optar por fazer parte das missões extras offline como torneios e batalhas contra velhos conhecidos da série. Nessas missões paralelas, podemos optar jogar com os personagens clássicos da saga ou com o personagem que customizamos para o modo história. Conforme vamos avançando nas missões, mais personagens da série ficam disponíveis para o jogador, e consequentemente, mais missões extras.

Ainda na cidade de Toki Toki, o jogador pode visitar outros personagens, chamados de treinadores. Entre eles, estão Kuririn, Piccolo, Tenshinan, Vegeta…e mais uma vez, conforme avançamos no jogo, mais treinadores serão liberados com maiores poderes a oferecer. Esses treinos são necessários para aprendermos habilidades clássicas dos personagens para usarmos em nosso personagem customizado. Poderemos obter, por exemplo, o clássico Garlic Ho de Vegeta se treinarmos com ele e completarmos os objetivos do seu treino. Cada treinador possui seus objetivos principais a serem completados. Quando o treino acaba, é liberado um exame final, uma espécie de prova para o jogador testar suas habilidades e ganhar experiência.

No fim de cada batalha, seja extra, online ou do modo história, os pontos de experiência poderão ser customizados conforme a vontade do jogador, podendo alterar força de ataques físicos, de KI, de poder de ataques mágicos, vitalidade, etc. Isso será necessário para o jogador poder avançar para as missões principais durante o game, sendo que a dificuldade vai graduando conforme o nível do jogador vai aumentando.

Além de tudo isso, a opção para comprar roupas, acessórios, itens e materiais ainda existe. A customização do personagem é total, desde roupas que aumentam o Ki até capsulas Hoi Poi para serem usadas nas batalhas, algumas recuperando energia, outras revivendo aliados. São centenas de itens extras a serem coletados, e alguns deles são hilariantes referências a série de anime.

E A PORRADA?

Dragon Ball Xenoverse 2 se parece com seu antecessor neste quesito. A essência é de um jogo de luta como os clássicos Tenkaichis Budokais, onde a visão de combate atrás do jogador, dando um pequeno espaço aberto para ser explorado nas batalhas. As mecânicas são bastante parecidas dos outros jogos da série, mas o diferencial aparece quando muitas das batalhas são combates entre diversos lutadores.

xenoverse porrada

Igualmente como em seu antecessor, a barra de KI, e vigor permanecem, junto da barra de vitalidade. Os ataques também permanecem os mesmos, sendo eles: ataques físicos, ataques mágicos e de ki, super ataques de ki. Lembrando que todos ataques poderão ser customizáveis após serem obtidos com os treinadores espalhados na cidade.

Os efeitos sonoros continuam os mesmos do anime, trazendo uma certa nostalgia para quem é fã da série. Infelizmente, a trilha sonora e as músicas não são as mesmas usadas, e são um pouco cansativas com o passar do tempo. O jogo também está totalmente em português, com a opção do áudio em japonês e inglês. Infelizmente, alguns erros de tradução são cometidos.

CONCLUINDO

Dragon Ball Xenoverse 2 mantém o legado de seu antecessor, um jogo muito bonito visualmente, com mecânicas agradáveis e interessante, mas soa menos ambicioso. Se o primeiro Xenoverse prendia o jogador e ganhava pontos por ter uma identidade única, o mesmo não acontece nesta continuação por ser basicamente, o mesmo jogo com algumas poucas novidades. Apesar de alguns pequenos bugs, a ambientação e a forma de se jogar, mesclado a elementos de RPG, trás um jogo feito para os fãs legítimos da série e por quem passou batido pelo primeiro game.

NOTA: 3,7/5

Esta análise foi feita em um PS4 com a cópia do jogo cedida pela Bandai Namco. 

LANÇAMENTO DO JOGO DRAGON BALL XENOVERSE 2 NO BRASIL:

Quando: Sábado, 29 de Outubro, das 14h às 20h
Local: Saraiva MegaStore – localizada no Shopping Center Norte
Endereço: Shopping Center Norte – Tv. Casalbuono, 120, Vila Guilherme, São Paulo – SP
Entrada Gratuita
Link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/919817704818221/

 

Sobre o Autor

Posts Relacionados

  • jorgemoai

    Porra, então é mais do mesmo? Mesmo assim, como sou faaaanzasso vou comprar kkkk vi o video cara, ficou muito bom!

    Como assim, vai ter lançamento aqui em SP??? To lá com certeza!!

    • mateuskies

      Mas é bom. Eu joguei o primeiro e ele é muito parecido mesmo, mas não tão parecido com os jogos de anime, tipo, Saint Seiya, sabe?

      Porra nem me fala, queria morar em SP pra ir nessas paradas. Um dia quem sabe. AJUDEM NO PATREON haahua

  • FERFO

    Muito bom, com certeza irei pegar ja q passei reto do primeiro jogo pq me pc na epoca nao funcionava
    six, vc ta sabendo do goku black que a bandai namco ofereceu pra quem fez a pre compra e no fim nao rolou?

    • mateuskies

      Pior que li algumas coisas no Steam sobre, mas não tava sabendo. Como a nossa versão é a de PS4 pra review, ela veio completinha. Vamos esperar ver se saem mais novidade sobre o ocorrido.